Comissão de Educação do CFO propõe argumentação técnica para fortalecer luta contra EaD na Odontologia

A Comissão de Educação do Conselho Federal de Odontologia (CFO) propôs em reunião realizada nessa quinta-feira, dia 02 de maio, em Brasília/DF, argumentação técnica para embasar a Diretoria Executiva da Autarquia na luta contra os cursos de graduação em Odontologia 100% ministrados na modalidade de Ensino à Distância (EaD). O objetivo é preservar a qualidade e a segurança da assistência à população por meio da exposição de riscos e prejuízos que podem ser irreversíveis à saúde da população no caso da formação em Odontologia que não esteja adequada.

Segundo a Coordenadora da Comissão de Educação, Maria Helena Monteiro Barros Miotto, a fundamentação técnica reforça a necessidade da aptidão do egresso na graduação em Odontologia para atuar em equipe de forma interprofissional, interdisciplinar, transdisciplinar, proativa e resolutiva. “Essa capacitação somente é viável por meio do curso presencial, o que inclui, ainda, a aplicação dos princípios de biossegurança na prática e execução dos procedimentos odontológicos para prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, bem como para reabilitação e manutenção da saúde bucal, compreendendo as condições sistêmicas e a integralidade do indivíduo”, explicou.

A argumentação técnica será aprovada pela Diretoria Executiva do CFO e, posteriormente, apresentada à Comissão de Educação do Fórum dos Conselhos Federais da Área de Saúde (FCFAS) para construção de documento coletivo. A proposta é compilar os argumentos elaborados pelos Conselhos que integram o Fórum a fim de alertar a sociedade acerca dos riscos que podem ser provocados com a má qualidade na formação desses profissionais. Esse compilado será abordado, também, no Seminário Nacional sobre Ensino a Distância na Área da Saúde, previsto para acontecer nos dias 17 e 18 de setembro, em Brasília/DF.

A Comissão também propôs linhas de atuação para aproximar o CFO de instituições de ensino que ofertam graduação em Odontologia a fim de reforçar os princípios éticos do exercício profissional ainda no ambiente acadêmico. Por se tratar de uma pauta ampla, nesse momento o foco é organizar com objetividade esses meios de comunicação para divulgação efetiva do papel, escopo, atribuições e ações do Sistema Conselhos em âmbito nacional.

Além da coordenadora da Comissão, a reunião também contou com a presença dos membros André Destefani Monteiro e Tereza Maria Alcântara Neves. O trabalho foi acompanhado, inclusive, pela Subcoordenadora das Comissões/CFO, Tessa de Lucena Botelho.

Michelle Calazans, Ascom CFO
imprensa@cfo.org.br